Arquivo Histórico

​ARQUIVO HISTÓRICO DE MARINHA

Apesar da Secretaria de Estado dos Negócios da Marinha e Ultramar ter sido criada pelo Alvará de 28 de Julho de 1736, as origens do Arquivo remontam apenas ao ano de 1843, quando o Decreto de 15 de Fevereiro reorganiza a referida Secretaria de Estado, estabelecendo no seu art.º 11º, um arquivo a cargo de oficial ou amanuense. Porém, as reformas frequentes que, a partir do constitucionalismo remodelaram o Ministério, a incorporação de fundos na Biblioteca Nacional (1897), a desanexação do Ministério das Colónias levou a que a documentação de alguns dos fundos da Marinha tivesse ficado dispersa em diferentes organismos, nomeadamente no Arquivo Histórico Ultramarino, e só na década de sessenta do século XX, após a criação do Arquivo Geral da Marinha aberto ao público (Decreto-lei n.º 42840, de 10 de Fevereiro de 1960, substituindo o antigo Arquivo da Marinha), se conseguiu que parte dela voltasse à Marinha, onde foi incorporada.

O Arquivo Central da Marinha foi criado pelo Decreto Regulamentar nº 35/94, de 1 de Setembro, que, em simultâneo, extinguiu o anterior Arquivo Geral da Marinha. É um organismo de natureza cultural e totalmente dependente, organicamente, da Biblioteca Central da Marinha, inclui o Arquivo Central e o Arquivo Histórico. Em 1997/98, foi transferido das instalações do Quartel de Marinheiros, em Alcântara, para o Edifício da ex Fábrica Nacional de Cordoaria, na Rua da Junqueira, em Lisboa.

Por sua vez, a Lei Orgânica da Marinha publicada em 2009 (Decreto-lei 233/2009, de 14 de Setembro) coloca o Arquivo Central na dependência da Superintendência dos Serviços de Tecnologias da Informação, com a denominação de Centro de Documentação, Informação e Arquivo Central da Marinha, continuando o Arquivo Histórico na dependência da Biblioteca Central da Marinha.

O acervo documental do Arquivo Histórico não é apenas o registo da sua memória nas suas múltiplas atividades em áreas geográficas diversificadas, é também uma parte da nossa História. ​